É sempre interessante caminhar por Berlim. Pode-se ter várias surpresas com artistas de rua, pessoas fantasiadas à carater para fotos (incluindo algumas fantasias de mau gosto como as que fazem referência aos soldados de guerra) e pontos de interesse nem sempre descritos nos mapas.

Aqui vou descrever apenas mais alguns lugares que compensa visitar, mas com certeza vão ficar faltando muitos outros pontos interessantes.

Performista imitando um mendigo bêbado. O "mendigo" soltava um arroto cada vez que alguém lhe dava uma moeda. Arghhh, que mau gosto, mas que é engraçado, isso não dá para negar...

Alexanderplatz

Essa praça é bem conhecida. No início do século 19, a Alexanderplatz foi uma das mais movimentadas praças em Berlim. Já na Idade Média, era o centro da cidade e, desde a reunificação de Berlim, a grande praça voltou a ser o centro da cidade. Seu nome se deve ao czar russo Alexandre I, que visitou Berlim em 1805.

Na verdade, tive que ir até a Alexanderplatz logo no meu segundo dia em Berlin. Na noite anterior, eu queimei o carregador da bateria da máquina fotográfica por pura distração. Era 110 e eu liguei no 220… Resultado, no dia seguinte tive que comprar outro carregador.

A Fernsehturm na Alexanderplatz vista da janela do avião

No próprio albergue me indicaram como lugar mais perto a loja Saturn, que fica na Alexanderplatz. Essa loja, aliás é muito boa para quem quiser comprar eletrônicos em Berlim, pois encontra-se de tudo e o preço é convidativo.

Fernsehturm
É na Alexanderplatz que se encontra a torre de TV, conhecida como Fernsehturm, uma das maiores estruturas na Europa. A altura total até o topo da torre é de 365 metros. Quem vai para Berlim de avião, já consegue visualizar essa torre mesmo do lado de dentro, antes de aterrisar.

A Fernsehturm foi construída em 1969 por uma equipe de arquitetos, com a ajuda de especialistas suecos. Aliás, os suecos parecem ser bem entendidos do assunto, afinal em Estocolmo há a bela torre Kaknastornet, de 155 metros.

A Fernsehturm contém um eixo de concreto, uma enorme esfera de metal e uma antena de TV. Quando foi inaugurada, a torre era o orgulho da República Democrática da Alemanha. Na época, o local era usado para exibir filmes de propaganda comunista com o objetivo de promover a qualidade de vida na Berlim Oriental.

A moderna arquitetura da torre de TV Fernsehturm na Alexanderplatz

Hoje em dia, a Fernsehturm é uma das atrações mais populares Berlim. Os elevadores existentes na base da torre levam os turistas para a grande esfera. Lá em cima há um mirante que permite uma bela visão de 360 ​​graus de Berlim de uma altura de cerca de 203 metros.

Dependendo das condições climáticas pode-se  ter uma visibilidade de até 40 km. Acima da plataforma há o restaurante giratório Telecafé, onde pode-se comer e beber alguma coisa a uma altura de 207 metros.

A torre é aberta à visitação diariamente de março a outubro das 9:00 até meia noite e de novembro a fevereiro das 10:00 até meia noite. O ingresso custa 11,00 euros para adultos e 7,00 euros para crianças e adolescentes até 16 anos.

Potsdamer Platz

Se do lado oriental temos a Alexanderplatz, do lado ocidental da cidade há também outra praça bem famosa de Berlim. É a Potsdamer Platz, um local moderno, que foi totalmente remodelado após a reunificação. É a região onde hoje, empresas como Sony, Mercedez Bens, DaimlerChrysler e outras têm suas matrizes. Há também um shopping center gigante, o Potsdamer Platz Arkaden, um cinema 3D-IMAX, um cassino e o Sony Center.

Modernidade na Potsdamer Platz, onde antes era considerado "terra de ninguém"

A Potsdamer Platz é considerada como uma jóia da arquitetura moderna, uma fênix renascida das cinzas do pós guerra. Antes considerada uma “terra de ninguém” após a divisão de Berlim, hoje é uma região moderna, movimentada e bastante agradável.

Na Potsdamer Platz também há pedaços do Muro de Berlim e marcas no chão mostrando o local por onde o muro passava.

Pedaços do Muro de Berlim ainda estão presentes na Potsdamer Platz

Rotes Rathaus

Esta impressionante construção é a prefeitura de Berlim. Foi desenhada por Hermann Friedrich Waesemann, cuja inspiração veio dos edifícios da Renascença italiana, porém a torre da Rotes Rathaus é uma reminiscência da catedral gótica de Laon, na França.

A construção se deu entre 1861 e 1869. As paredes feitas de tijolo vermelho foram as responsáveis pelo nome dado à Câmara Municipal (prefeitura vermelha, em alemão), porém o nome também seria adequado à orientação política dos prefeitos que a construíram.

Mistura de estilos renascentista e gótico na construção da Rotes Rathaus

O edifício tem um friso conhecido como a “crônica de pedra”, que foi acrescentado em 1879. Esse friso mostra cenas e figuras da história da cidade e do desenvolvimento da sua economia e ciência.

Assim como a maioria das construções de Berlim, a Rotes Rathaus foi seriamente danificada durante a Segunda Guerra Mundial. Após a reunificação da Alemanha, o prédio voltou a ser a prefeitura da cidade.

Friedrichswerdersche Kirche

Essa é uma bela igreja construída em 1830 no estilo neo gótico. A Friedrichswerdersche é uma obra-prima de Karl Friedrich Schinkel, o renomado arquiteto da Prússia responsável por grande parte das belas construções presentes na Unter den Linden, pela reforma da Berliner Dom, pelo Altes Museum e pela ponte Schlossbrücke. Esta última é a que fica mais perto da Friedrichswerdersche Kirche.

Friedrichswerdersche Kirche, a bela igreja neo gótica de Karl Friedrich Schinkel, vista do topo da Berliner Dom.

A igreja possui uma exposição permanente sobre a vida e obra de Schinkel e seus contemporâneos Johann Gottfried Schadow Christian e Daniel Rauch. Na nave encontra-se a coleção de esculturas do século 19, o trabalho de Schinkel e sua vida são mostrados no piso superior.

Oranienburger Strasse

Um lugar agradável para caminhar, com várias lojas, restaurantes e barzinhos é a Oranienburger Strasse, no lado oriental, perto da Museumsinsel. À noite, o local fica bem movimentado, sendo que a rua possui fama de ser o centro da cultura alternativa de Berlim.

Além dos agitados barzinhos, algumas construções chamam a atenção, como por exemplo, o Postfuhramt um grande e elegante edifício de tijolos localizado na esquina com a rua Tucholskystraße. Foi originalmente construído no século 19 como um estábulo para os cavalos que distribuíam a correspondência.

Sua fachada imponente lembra mais um palácio do que uma sede do correio. Atualmente ele é usado como local para exposições, principalmente de fotografia. A galeria é chamada de C|O Berlin.

A imponente fachada do Postfuhramt

Outra construção famosa na Oranienburger Strasse é a Neue Synagoge (Nova Sinagoga). Ela foi construída entre 1859 e 1866 como a principal sinagoga da comunidade judaica de Berlim. Sua inauguração contou com a presença de Otto von Bismarck, o então ministro presidente da Prússia, em 1866. Na época era a maior sinagoga da Europa, com 3.200 lugares.

Durante o século 19, Berlim começou a se tornar uma importante metrópole na Europa e muitos judeus provenientes do Império Otomano começaram a se estabelecer na cidade. A origem turca dos imigrantes judeus explica o porquê da influência moura e semelhança com o Alhambra em Granada na arquitetura da Neue Synagoge. Todo esse conjunto torna a sinagoga um importante monumento arquitetônico da segunda metade do século 19, em Berlim.

Neue Synagoge na Oranienburger Strasse

Nem precisa falar que o edificio gravemente danificado, antes e durante a Segunda Guerra Mundial. A sinagoga foi saqueada, profanada e incendiada por nazistas em 1938, após foi fortemente danificada pelos bombardeios dos Aliados em 1943, incendiada por berlinenses em 1944 e demolida pelos alemães do leste comunista na década de 1950.

A sinagoga hoje existente é uma reconstrução feita por volta dos anos 80, resultando em uma mistura exótica de estilos.

Hoje em dia, a sinagoga funciona principalmente como um museu, com exposição sobre a história do edifício e dos seus fiéis e fragmentos de arquitetura e mobiliário originais.

É aberta a visitação domingo e segunda-feira das 10:00 às 20:00, terça-feira a quinta-feira das 10:00 às 18:00 e sexta-feira das 10:00 às 17:00 (abril a setembro) ou das 10:00 às 14:00 (outubro a março). A sinagoga é fechada aos sábados e no feriado judeu Yom Kippur.

A visita guiada dá uma idéia do tamanho da sinagoga original e da dimensão de sua destruição.

Deixe aqui seu comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Tópicos recentes