Marrakech foi a última cidade que visitei no Marrocos, ela é uma das quatro cidades imperiais, ao lado de Rabat, Meknès e Fès. Chegamos em Marrakech ao entardecer, o que nos favoreceu com uma bela vista composta por tons rosas e ocres tanto no céu ao pôr do sol quanto nas muralhas e casas. Um espetáculo que já anunciava o encantamento da cidade, estar em Marrakech era verdadeiramente um sonho.

Chegada em Marrakech ao entardecer

Assim como as demais cidades, Marrakech também tem uma cor característica, que é obviamente o vermelho, facilmente visto em suas construções e muralhas. A cor é devida à  argila vermelha extraída da terra e das montanhas para a fabricação dos tijolos.

Os muros de Marrakech, a Cidade Vermelha

Uma cegonha fez seu ninho no portão mais famoso da muralha da medina de Marrakech, o Bab Agnaou

Marrakech passou por 5 dinastias. A cidade, fundada em 1070, foi capital do Marrocos durante as dinastias almorávida e almoáda, porém foi abandonada durante a dinastia dos merenidas. Os saadianos devolveram o mérito à Marrakech, entretanto os alaouítas preferiram desenvolver as outras cidades imperiais como capitais do reino e assim, novamente Marrakech foi preterida, para dar lugar para as demais cidades imperiais.

Por todos os lados há as construções com tons de rosa dando charme e característica única para Marrakech

Durante o seu auge, Marrakech foi capital do império que se extendia desde o Saara até o Ebro e do Atlântico ao Algiers. Hoje em dia, parece haver alguma rivalidade entre Fès e Marrakech, no que diz respeito ao  patrimônio cultural e religioso de ambas cidades.

Porém, Marrakech mantém sua importância pela localização geográfica favorecida, é a porta de entrada para o deserto do Saara ao mesmo tempo em que está perto do oceano Atlântico. Junte-se a isso o fato de ser altamente turística, sem no entanto, perder suas características que a fazem ser tão única.

Um homem caminha na medina com a roupa típica de inverno, a jelaba

Visão de uma das ruelas da medina de Marrakech

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A importância de Marrakech se reflete até mesmo no nome do país, afinal Marrocos deriva de Marrakech, enquanto que seu próprio nome provavelmente deriva da palavra bérbere Mur-Akush que significa Terra de Deus.

A cidade conhecida como Pérola do Sul, Cidade Vermelha ou Porta do Sul se divide em dois distritos constratantes, a medina, fundada pelos almorávidas aproximadamente 1000 anos atrás e a Ville Nouvelle, fundada pelos franceses no início do século 20, com arquitetura mais moderna, sempre lembrando o estilo art-decó.

Tranquilidade em um boulevard da cidade mais turística do Marrocos

Marrakech é a verdadeira capital turística do Marrocos, um oásis em tons ocre pronto para receber qualquer viajante. Entrar na cidade passando pela avenida ladeada por incontáveis palmeiras já foi um prenúncio do que estaria por vir. A ansiedade aumentava ainda mais vendo tantas palmeiras em um lindo pôr do sol rosa e azulado.

É praticamente impossível se referir à cidade sem usar os adjetivos exótica e mágica, afinal, Marrakech é diferente de tudo o que eu já tinha visto. É única em seu jeito de ser, é onde fica mais clara a mistura marroquina árabe e africana com pitadas de influência européia.

Encantador de cobras na enigmática praça Djemaa El Fna

A cidade vibra, encanta, provoca com seus enigmas e atrai turistas do mundo todo, curiosos para desvendar seus mistérios. É uma jóia encravada no coração do Marrocos e ponto de partida para o deserto do Saara.

Marrakech como um todo, seja dentro da medina ou na Ville Nouvelle, parece um cenário de filme. É como voltar no tempo e fazer parte de alguma cena daqueles filmes com cenários exóticos, aparentemente fictícios, aqueles que parecem existir somente na nossa imaginação ou em algum lugar perdido no passado.

Andando por suas ruas, medina, boulevard ou jardins, vem um pensamento à cabeça, é mágico, é belo, é um sonho das 1001 noites, é Marrakech!!

Cantores no restaurante do bairro judeu Mellah

São vários os lugares para conhecer na cidade, incluindo a medina e suas atrações imperdíveis como o magnífico Palace Bahia, a famosa mesquita Koutoubia e a inexplicável praça Djemaa El Fna com suas duas faces contrastantes: dia e noite, as belas tumbas saadianas, os jardins Menara e Majorelle, a noite mágica no restaurante Chez Ali com a apresentação de cavalos bérberes, dentre outros.

Pode-se locomover na cidade por taxi ou charrete. O passeio nas charretes, ou caleches, podem ser comprados na praça Djemaa El Fna ou até mesmo nos boulevards e avenidas da cidade. O preço obviamente tem que  ser combinado e barganhado, como tudo no Marrocos. Quanto aos taxis, já falei deles nesse post de Casablanca, mas vale a pena lembrar que estes devem ter taxímetro preferencialmente, pois o preço combinado com certeza sairá mais caro.

Nosso "solícito" taxicista que nos levou ao Jardin Majorelle

Nós pegamos um taxi no último dia para ir até o Jardin Majorelle. Foi bem tranquilo, porém no meio do caminho o taxista parou em frente a um comércio e disse calmamente que poderíamos fazer nossas compras lá enquanto ele esperava. Nesse caso, tem que deixar claro que o objetivo é outro. Embora ele afirmasse que o Jardin Majorelle ainda estava fechado (o que descobrimos mais tarde que não era verdade), nós agradecemos a oferta, mas fomos claros em dizer que nosso interesse era conhecer o jardim e não fazer compras naquele momento.

Apresentação de música típica bérbere no Chez Ali

Marrakech não encanta somente a turistas, mochileiros e viajantes comuns. Famosos como Winston Churchill e Yves Saint Laurent não apenas declaram sua preferência pela cidade como, no caso de Yves Saint Laurent, até se mudaram para lá. Mr Churchill dizia “Se você tem só dia para passar no Marrocos, passe-o em Marrakech“. Bem, sem dúvida, ele estava certo, apesar que eu adicionaria Fès e sua inesquecível medina para competir por esse único dia.

Andar de charrete, ou caleche, é uma forma divertida e romântica de conhecer Marrakech

Na dúvida fique com as duas cidades, melhor ainda, fique com todo o Marrocos e suas mesquitas, medinas, palácios, mausoléus, artesanatos e paisagens deslumbrantes.

Para saber mais:

Madein-marrakech
Marrakech.net
Visit Morocco

 

Deixe aqui seu comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Tópicos recentes