Meknès possui quase 40 km de muralhas construídas por Moulay Ismail. As muralhas são pontuadas por suntuosos portões, como Bab El-Khemis, Bab Bardaïne, Bab Al-Mansour, Bab M’Rah, Bab Rih, Bab Nouar Jamaa e Bab Bordj, apenas para citar alguns. Os portões são verdadeiras obras de arte, construídos com todo o cuidado relacionado aos desenhos e detalhes, algo típico do Marrocos, almejando obter a aprovação tão necessária do sultão Moulay Ismail.

Um trecho das muitas muralhas de Meknès

 

Bab el Khemis

Esse portão parece ser injustamente negligenciado em alguns guias, pois não é citado nem no Lonely Planet nem no Rough Guide. Bab el Khemis é um dos portões mais famosos da muralha de Meknès. Atualmente o portão e a muralha ao redor estão repletos de buracos, mas isso se deve ao processo de restauração. Vários monumentos espalhados por todo o Marrocos estão sendo restaurados ou à espera de restauração com a ajuda da UNESCO, já que muitos monumentos fazem parte da lista de patrimônio da humanidade, incluindo a cidade imperial de Meknès.

Bab el Khemis ou Bab Lakhmis só perde em tamanho para o Bab el Mansour, o principal portão de Meknès. Seu nome (Porta de Quinta-feira) se deve à feira que ocorria no local toda quinta-feira.

Beleza e imponência do Bab el Khemis

 

A porta se localiza na entrada principal do bairro dos Jardins, construído por Moulay Ismail e destruído pelo seu filho Moulay Abdallah, que não ficou satisfeito com a recepção que recebeu dos moradores, após voltar de uma campanha mal sucedida.

Ele foi construído no século 17 em terreno doado pelo sultão a um médico judeu que havia curado uma de suas princesas. As imponentes torres existentes uma de cada lado do portão possuem 4,70 metros de altura e 6,50 metros de largura. No alto, Bab el Khemis é decorado com uma inscrição feita em azulejos pretos sobre o trabalho em alvenaria. Na inscrição se lê:

Eu sou a porta aberta a todas as pessoas, seja no Ocidente ou Oriente. Eu sou a porta feliz com a minha fama como a lua cheia no céu. Eu fui construída por Moulay Ismail, a fortuna e a prosperidade estão inscritas na minha fronte, eu estou cercada por felicidade”.

Diferentes cores e padrões minimamente pensados compõem a bela estrutura do Bab el Khemis

Bab el Mansour

Bab el Mansour é o principal portão de Meknès. Essa bela porta constitui um desafio à paciência do turista desejoso de uma boa foto. Bab el Mansour fica em uma região congestionada por carros, pessoas, ônibus, animais, bicicletas e tudo mais que se possa mover. Todos passando ao mesmo tempo na frente da máquina fotográfica.

Bab el Mansour, o portão considerado como o mais majestoso do Marrocos

 

Esse portão é tido, com razão, como o mais bonito de todo o Marrocos e uma das maiores obras de Moulay Ismail. Bab el Mansour ainda é classificado como estando entre os quatro melhores portões do mundo. Foi construído por um arquiteto cristão convertido ao islamismo, com o objetivo de ascender na corte de Moulay Ismail.

Ele era conhecido como o “Renegado Vitorioso” ou Mansour Laalej, daí o nome do portão (Mansour em árabe significa Vitorioso).

Detalhes que dão a impressão de um tecido brocado

 

Uma lenda local relata que uma vez o sultão, ao inspecionar o portão, perguntou a El Mansour se ele poderia fazer melhor. O arquiteto teve a infeliz idéia de responder que sim, o que lhe rendeu a sua execução imediata. Essa história, na verdade, parece não ter ocorrido, uma vez que a porta foi concluída em 1732, na época no reinado de Moulay Abdallah, filho de Moulay Ismail.

Seja qual for a verdade, Bab el Mansour é um dos lugares mais visitados em Meknès e uma adaptação interessante do estilo almóada clássico, com colunas de mármore trazido do sítio arqueológico romano de Volubilis, próximo à Meknès.

Difícil imaginar como El Mansour poderia ter feito melhor

 

Bab el Mansour é surpreendentemente rico em sua decoração que permanece quase perfeitamente preservada. O portão é completamente coberto com cerâmica e mosaicos em tons de verde. Seus ricos detalhes são feitos com pedaços de terracota vitrificada, em formato côncavo ou em relevo, de modo a dar a ilusão de um tecido brocado.

Os motivos decorativos encontrados tanto na porta quanto nos baluartes são feitos seguindo o padrão almóada darj w ktarf, que significa um desenho de rosto e ombros, lembrando vagamente uma flor-de-lis.

A inscrição ornamental no alto da porta exalta o triunfo de Moulay Ismail e, mais ainda, de Abdallah, vangloriando-se que não há porta igual em Damasco ou Alexandria. A altura total do portão é de cerca de 16 metros, a abertura do arco é de quase 8 metros.

Lateral do suntuoso portão construído pelo sultão megalomaníaco Moulay Ismail

Place el-Hedim

Não tem como falar do Bab el Mansour sem mencionar a praça El-Hedim, a principal causa do congestionamento na região, ao meu ver. A Place el-Hedim é o centro da atividade da Medina de Meknès, ela se localiza no cruzamento entre a antiga Medina e o Palácio Real, ainda próximo dela está o Dar Jamai, o museu de arte marroquina que abriga belas peças da cidade imperial.

Na praça há um mercado fascinante de frutas, legumes, carnes, aves, pão, e claro, especiarias. Esse tumultuado local é uma boa preparação para a praça Djemaa el Fna de Marrakech, porém em menores proporções.

A vida no mercado da Place el-Hedim

 

Seu nome significa Praça do Entulho ou Praça da Demolição. Ela ganhou esse nome quando foi usada para depósito de materiais de construção usados na época de Moulay Ismail. O mármore e outros materiais trazidos de Volubilis para construir a cidade imperial foram armazenados aqui.

Essa retirada de tanto material danificou profundamente o magnífico sítio arqueológico de Volubilis, hoje felizmente patrimônio da humanidade, protegido pela UNESCO.

Mulheres sentadas em uma das fontes da Place el-Hedim

 

A praça foi remodelada nos anos 90 em um local para pedestres, com fontes, lojas e arcos decorativos. Bem movimentada, a Place el Hedim fornece um local ideal para tomar um chá de menta e observar o ritmo da vida em Meknès com toda sua cultura tão diferente para nós ocidentais.

À noite, a praça fica povoada por contadores de histórias, encantadores de serpentes, acrobatas, vendedores e toda a diversidade de artistas e performistas.

Movimento no mercado tradicional da praça

Muralhas também estão presentes na Place el-Hedim

 

Bab en Nouar

Esse portão fica paralelo ao Bab el Mansour e foi construído na mesma época. Eele é menor em tamanho, porém segue o mesmo estilo. Esse é o portão onde se pode realmente atravessar, já que o Bab el Mansour fica a maior parte do tempo fechado, sendo aberto somente para exposições temporárias.

Embora suas proporções sejam mais modestas, quando comparado com seu concorrente Bab el Mansour, suas linhas são fortes e harmoniosas. O portão leva à Mesquita El Nouar.

Bab en Nouar é menor em tamanho, mas nem por isso deixa de ser um belo portão ricamente decorado

 

Bab er-Rih

Esse belo portão fica próximo ao Mausoléu de Moulay Ismail (assunto para o próximo post). Seu nome original parece ter sido Bab er-Rais, que significa Porta do Capitão, porém hoje ele é conhecido como Bab er-Rih, Porta dos Ventos, em árabe, devido à sua disposição em linha reta, aberto a todos os ventos.

Bab er-Rih ou Porta dos Ventos, ao fundo se vê o mausoléu de Moulay Ismail

 

Ao contrário dos anteriores, ele é formado por dois arcos principais mais estreitos apoiados em colunas pesadas. Sua decoração fica por conta dos cuidadosamente trabalhados desenhos geométricos no alto dos arcos.

Detalhe dos desenhos geométricos no alto do Bab er-Rih

 

 

Deixe aqui seu comentário

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Tópicos recentes